sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Como funciona o leitor de palma da mão do Bradesco

Como funciona o leitor de palma da mão do Bradesco
Para quem ainda não sabia, o banco Bradesco está começando a utilizar em seus caixas eletrônicos, autenticação por meio biométrico. Essa autenticação, após o próprio usuário ter feito seu cadastro no caixa eletrônico, isenta ele de utilizar a senha de letras.
Existem algumas formas de biometria mais conhecidas como, a leitura da íris do olho e a digital dos dedos, mas o Bradesco optou por utilizar a leitura da palma da mão. Uma espécie de cigana digital, hehehe.
Não é uma simples leitura da palma da mão, mas sim a leitura dos vasos sanguíneos que possuímos nas mãos, que segundo a empresa Fugitsu criadora da tecnologia, é mais segura e menos evasiva do que a leitura da íris e impressão digital. O problema na leitura da íris é devido aos clientes que utilizam lentes de contato, pois teriam que tirá-las antes de sacar dinheiro no caixa. Imagina a situação do sujeito, retirando a lente, depois não enxergando mais a tela por estar sem a lente, dai deixa ela cair, perde ou seja, um caos. Também a utilização da impressão digital tem o incomodo da higiene, com o passar do tempo o sensor iria ficar engordurado necessitando uma limpeza.
A utilização do sistema de leitura das veias da mão, funciona de forma que o cliente coloca a mão em um suporte, para que ela fique estabilizada e a uma distância correta do sensor. Esse sistema emite uma luz infravermelha que reage com a hemoglobina do sangue mapeando a posição das veias da mão do cliente, que é praticamente única e dificilmente irá se assemelhar a alguma outra pessoa.
Como a leitura é feita pela reação com a hemoglobina, não tem como cortar a mão do sujeito para fazer um saque no caixa eletrônico, assim como acontece em alguns filmes, como 007 por exemplo.